Os Últimos Dias de Dilúvio da Serra - Adriano Paciello


                             Pena que Viestes.
                                Bom que Vais.

Sinopse

''Dilúvio da Serra é uma cidade repleta de superstições e sua aversão ao número 13 é uma obsessão. Prestes a completar 100 anos e com 12.999 habitantes, uma chuva avassaladora e o iminente nascimento do próximo diluviano endossam o medo da extinção do local. Pegue seu guarda-chuva e acompanhe os últimos dias de Dilúvio da Serra.''


 Em 13 de setembro de 1813, ás 13h, em uma curva onde todos erravam o caminho, 12 famílias celebram a criação de uma nova vila com uma linda placa de mogno escrita ‘’Mognos da Serra” que SERIA, o nome da vila, até que na hora do discurso Mognos recebe uma chuva muito grande, com trovões, raios e MUITA água , que durou 7 dias inteiros.
Não me perguntem como, mas decidiram que era tudo culpa do número 13, a partir  de estudos feitos com base em nada. Começaram a fazer contas e mais contas, a quantidade de letras dos nomes, a data, a hora, etc. O que levou mais 5 dias para a reinauguração  da vila, que agora, por motivos óbvios, se chamava ‘’Dilúvio da Serra”


             100 anos depois, a pequena vila se tornou uma cidade  muito prospera, e ganhou o título de ‘’Cidade da Supertição ’’ e de ‘’ Cidade da Madeira ‘’. Era uma cidade tranquila (tanto que a delegacia ainda tinha a faixa vermelha pra ser cortada), também não tinha políticos (maravilha), mas quem mandava na cidade era a família Von Becke, no qual o último filho do dono da cidade era chamado (antes de nascer) de Filho do Cão, simplesmente por ser o 13000º onde eles acreditava, que no seu nascimento iria vir outra chuva e destruir toda a cidade.
                Johan (Iôrran) Filho Von Becke ( dono atual da cidade) era pequeno quando viu o pai ter um infarte na igreja e acha que ele foi por o padre da cidade ter dito que Judas deveria ser reconhecido como todos os outros discípulos de Jesus.  E com isso ele cresce traumatizado, obcecado por acabar com a vida do seu “vilão’’. E daqui, só lendo para descobrir rsrsrsrsrs.

                Garanto á vocês que não irão se arrepender com  esse livro, eu achei, que seria clichê, porém, de clichê esse livro não tem nada. No inicio eu fiquei meio confusa mas depois de um tempo me acostumei com a escrita do autor, mas também quando peguei o ritmo acabei rapidinho. Você fica obcecado em saber o que vai acontecer com essa cidade que acredita em superstições, e o final é surpreendente, nada do que eu imaginei foi o final e eu gostei disso, tá imaginando o final e do nada, PAH, e cai uma bomba bem encima de você. Aconselho demais .
                Agradeço aqui ao autor e professor Adriano Paciello por me ceder seu trabalho para resenha no blog e  por ser uma pessoa super simpática, obrigada.

                                   GARANTA O SEU EXEMPLAR CLICANDO AQUI     

11 comentários:

  1. Oi, Bruna!
    Eu não conhecia esse livro e só posso dizer que JÁ QUERO.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre essa cidade, todos os mistérios e sobre a obsessão de Johan.
    Livros com finais inesperado me conquista muito e esse parece ser um.

    Amei!
    Beijos,
    Ler Antes De Dormir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é bem a tua cara ❤😨 tu vai amar ❤

      Excluir
  2. A editora chiado tem sido constante fonte de surpresas pra mim, primeiro pelas imagens das capas que acho uma mais linda que a outra e depois pela qualidade das obras. Amei as premissas do livro porque "brincar" com números sempre foi um passatempo delicioso pra mim. Fiquei megacuriosa sobre a história dos 13 e do diluvio. Obrigado pela resenha deliciosa de ler e a ótima dica de livro nacional!!
    Slainte! ~Elis
    Blog Pretenses

    ResponderExcluir
  3. Nossa, uma história totalmente diferente! Nunca li nada parecido. Muito boa sua análise, despertou-me curiosidade! É o tipo de história que acredito que pode surpreender.
    Beijos,
    Yasmim.

    blog: http://literarte.blog.br/
    insta: http://instagram.com/blogliterarte


    ResponderExcluir
  4. Uouuu. A história já deu um nó na minha cabeça, e foi só a resenha. Mal posso esperar para ler o livro hahaha. Bjs!!

    ResponderExcluir
  5. Oi, ainda não conhecia o livro, achei a história meio estranha, mais bem original.
    Creio que a leitura é repleta de descobertas , fiquei bem curiosa!
    A resenha está maravilhosa..
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  6. Ola, que livro bacana ! Gostei bastante da história, adoro Supernatural ! Fiquei bem curiosa! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse livro, ele parece ser bem único e diferente dos que estou acostumada. Fiquei bastante curiosa com todas essas superstições e como a cidade lida com elas. Amei a sua resenha! Parabéns!

    Bjo
    ~ Danii
    clubedofarol.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá. Adorei a resenha. Acho as superstições em volta do número 13 engraçadas pois tem gente que fala que ele dá azar e tem gente que fala que dá sorte. Eu acho que dá sorte, nasci num dia 13. Tem gente que nem sei de casa na sexta-feira 13.
    http://umlivroeso.blogspot.com.br/
    https://www.youtube.com/channel/UCqHjLsHMeYOeSAso9F1FUiQ

    ResponderExcluir
  9. Olá, me parece uma leitura ótima, tem livros que começamos e ficamos confusos mas quando o autor sabe desenrolar bem acaba fluindo. Super curiosa nesse obsessão e quero saber o acontece nas cidades, gostei muito de conferir suas resenha e me deixou bem curiosa, parabéns, ficou demais. Bjs

    ResponderExcluir

Postagem em destaque

Resenha Um Amor Para Eva - Sumihara Martinez

"Cara Eva,   Eu nunca imaginei me pegar pensando em alguém com tanta  intensidade, nem sabia que isso era possível. Mas isso tudo é p...